São Tomé quer maior aproximação a países próximos do arquipélago

Patrice Emery Trovoada

Será São Tomé e Príncipe uma oportunidade? A questão trouxe na passada segunda feira o primeiro-ministro do arquipélago, Patrice Emery Trovoada, a Lisboa para explicar o porquê de achar que sim, há oportunidades em São Tomé e Príncipe.

No auditório n.º1 da Universidade Lusíada, na zona da Junqueira, o governante são-tomense explicou a uma audiência constituída, em iguais partes, por portugueses e naturais do seu país, por onde é que São Tomé e Príncipe se poderá evidenciar: «Não pensamos no petróleo, porque estamos há dez anos à espera e isso criou problemas. A grande vantagem de São Tomé e Príncipe é a sua posição geoestratégica», começou por dizer Patrice Trovoada.

Para o primeiro-ministro, essa é a peça fundamental para o desenvolvimento do arquipélago. «Estamos no equador; no centro do Golfo da Guiné. A África Central está a duas horas, assim como todos os países desde Angola, a sul, até à Serra Leoa, a norte...junto a nós está um mercado com cerca de 300 milhões de consumidores, naquela que é a região mais rica da África subsaariana», enumerou Patrice Trovoada.

A região onde está São Tomé e Príncipe é também um poço de riqueza, com «uma média de produção de cinco milhões de barris de petróleo por dia, na zona com a maior produção de cacau, com bauxite, manganésio, gás, fosfatos...», esclareceu o governante.

Perto está também a Nigéria que, segundo Patrice, «será o terceiro país do mundo com o maior número de habitantes, a seguir à China e Índia». Juntam-se os vizinhos que fazem parte de países africanos em crescimento, como o Gana, Guiné Equatorial, Congo ou Gabão. Países que atravessam alguns problemas sociais, os quais São Tomé e Príncipe pode ajudar a aliviar. «São Tomé e Príncipe é uma democracia que pode facilitar os negócios no Golfo da Guiné, podendo oferecer infraestruturas que nos seus países demoram a ser construídas devido à corrupção ou burocracia. Somos um país pequeno, temos de pensar regionalmente», disse.

Patrice Trovoada evidenciou também o desenvolvimento que a cintura equatorial está a ter no mundo, com países como Singapura, Índia, Brasil ou Indonésia a destacarem-se nos países em desenvolvimento.

Para o primeiro-ministro é essencial construir «um bom sistema, com boa política, boa justiça, segurança e formação de quadros especializados». «Honestidade, trabalho, reconhecer o mérito e aprender a sorrir... é um desafio mas é possível, temos é de ser inteligentes», concluiu.

Bruno Abreu

Fonte: Jornal A Bola

Demografia
Demografia
Do total da população de São Tomé e Príncipe, com aproximadamente 187.356 habitantes (Censo 2012) [...] Foto:...
Venha Conhecer São Tomé e...
Venha Conhecer São Tomé e...
São Tomé e Príncipe é um destino ideal para conhecer uma África amável [...] Foto: Cruza Mundos São Tomé...
Ússua
Ússua
Nasceu no início do século XX, sendo uma dança praticada pelos "filhos da terra" de inspiração europeia:...
O País Lusófonia Política Economia Sociedade Desporto Educação Cultura Multimédia Saúde
Cultura Angola     Embaixadas Futebol        
Demografia Brasil   Turismo Serviços Basquetebol   Gastronomia    
Geografia Cabo Verde   As praias Emprego Ciclismo   Folcrore    
História Guiné Bissau   Ecoturismo Imobiliário Canoagem   Festas Locais    
Clima  Moçambique   A Capital Meteorologia  Clubes        
Fotos  Portugal      Tecnologia Taykwondo        
  Timor     Links Úteis Capoeira        
  S.Tomé e Príncipe       Xadrez        

© 2015 STP Digital Lda. Todos os direitos reservados. | Desenvolvimento por Albatroz Digital | Manutenção por STP Digital Lda | Termos e Política de Privacidade | Publicidade