Experiência militar na nova gestão do Grupo HBD

O Grupo HBD já investiu mais de 80 milhões de euros na Região Autónoma do Príncipe. Proteger esta reserva mundial da biosfera e desenvolve-la de modo sustentável e responsável é a visão de negócio do grupo para a Ilha. A esta visão, a empresa adicionou a experiência militar de Buster Howes, o novo CEO do grupo. Nesta entrevista, Howes fala sobre o que já foi feito na ilha e sobre os projetos em carteira.

O novo CEO do Grupo HBD descreve a mudança para a Região Autónoma do Príncipe como profunda a todos os níveis. “Topograficamente, climaticamente, culturalmente e de todas as maneiras que possa imaginar. O Príncipe é mais virgem, distintamente bonito, é isolado e tem muitas qualidades hipnotizantes. Mas também tem os seus desafios e acho que muitas pessoas em São Tomé reconhecem isso”.

Recebeu o STP Digital no hotel do grupo na capital são-tomense, muito descontraído, deixando transparecer o espírito com que dirige a sua equipa: “Não importa quando faz o seu trabalho, desde que o faça”.

Antes de vir para trabalhar para o grupo HBD, Howes trabalhou 33 anos como Royal Marine em todo o mundo. A sua última missão foi em Washington DC. “Eu trabalhava como diplomata militar para a embaixada britânica lá. Voltei para casa para o Reino Unido por sete meses e depois vim para o Príncipe”.

Está a aprender a língua portuguesa, que diz ser difícil e uma coisa complicada de se fazer quando se está ocupado. O presidente executivo descreve os seus dias como longos. “Há muito o que fazer. Por isso, o meu dia-a-dia é um equilíbrio entre estar preso ao computador a ver e responder e-mails, fazer uma série de coisas complicadas, que pode imaginar, numa empresa grande, com escritório em Lisboa, com pessoas espalhadas pelas ilhas, orçamentos e finanças e pessoal”. Por isso para começar o dia com boa disposição para enfrentar os desafios do dia, Howes contou ao STP Digital que gosta de conectar se com o mar.

Confessa que é muito difícil fazer seja o que for no Príncipe por causa da logística. Demora cerca de 70 dias para o abastecimento chegar de Portugal. Acredita que a sua experiência militar está a ajudá-lo nesta nova missão. “Estou acostumado a planear coisas e, às vezes, em circunstâncias difíceis. Também estou acostumado a montar equipas de pessoas em locais isolados. Como já trabalhei em ambientes que, por vezes, têm um grande número de partes interessadas, diferentes nacionalidades e diferentes agrupamentos sejam elas ONGs, instituições de caridade, organizações governamentais, constitui uma mais valia para concretizar os desafios da HBD”.

Sobre o impacto desta mudança de equipa na empresa, nomeadamente, o CEO, Howes disse que em conjunto, estão a traçar estratégias para que vejam claramente onde querem estar nos próximos 5 anos. “Fomos muito assertivos ao priorizar a construção das novas unidades hoteleiras que temos em vista, foco no turismo sustentável e também na silvicultura. 65% da população do Príncipe obtém o seu sustento através da terra e nós temos 1700 hectares de concessão de terras e temos que conceber como tornar estas terras mais produtivas”.

Howes frisou que a companhia tem duas vertentes: a comercial, que assenta no desenvolvimento sustentável (construção de aeródromos, construção e reabilitação de estradas, abastecimento de energia, reabilitação de roças, aposta na cultura do cacau, café, banana, papaia e construção de eco lodges); e a social, que consiste em proteger a biosfera. “Tudo o que fazemos é no intuito de protegermos a biosfera! Este ano conseguimos proteger 1.750 ninhos de tartarugas. No ano passado, protegemos 370. Nós temos dois barcos, que patrulham o mar, temos mais pessoas a patrulhar as praias, e estamos a envidar esforços para a regeneração da floresta e proteção de espécies endémicas. Acabamos de recrutar duas especialistas internacionais de flora e fauna e firmamos uma parceria com a Sociedade Zoológica de Londres. Estamos a fazer de tudo para alcançar maiores resultados”.

Até então a maior parte do investimento da empresa foi canalizado para infra-estruturas como o aeroporto regional, que agora constitui um grande trunfo para a ilha. Howes disse que agora é preciso incentivar voos diretos da África continental para aumentar o acesso e melhorar a viabilidade económica da ilha de forma sustentável.

Howes anunciou que no primeiro ou segundo trimestre do próximo ano a Praia Sundy Resort deverá abrir as portas como uma unidade hoteleira de 5 estrelas. “Estamos a investir muito dinheiro na Praia Sundy Resort e é um lugar onde é difícil construir”.

O novo CEO do grupo HBD disse que tem esperança de continuar a desenvolver os projetos que a empresa tem nas Roças Sundy e Paciência. “Temos feito progressos significativos ao longo dos últimos 4/5 meses na reabilitação de partes de Sundy, começamos a recuperar uma grande parte da antiga locomotiva industrial de motor a vapor, reabilitamos o antigo secador para processar mais eficazmente o cacau, acabamos de reconstruir 2,5 quilómetros da estrada de para torná-lo mais acessível e mais seguro e vamos continuar a investir nas infra-estruturas da ilha”.

Howes, muito entusiasmado, disse ainda que uma das suas prioridades é conseguir um mecanismo para levar água às escolas da região. “A União Europeia fez uma doação este ano para São Tomé e Príncipe de cerca de 28 milhões de euros para melhorar o abastecimento de água potável. São vinte e oito escolas para atender mais de 4000 crianças no Príncipe, que não têm água ou saneamento”.

Acrescentou ainda que a empresa quer dar o seu contributo em projetos de ação social para aumentar os cuidados com a saúde e reduzir a violência doméstica.

Muitos visitam e apaixonam-se por São Tomé e Príncipe, mas poucos são os que resistem a todos os obstáculos e ficam. O empresário sul-africano, Mark Shuttleworth, proprietário do grupo HBD, perdeu-se de amores pela ilha do Príncipe e decidiu apostar nesta em 2011.

Escrito por
Katya Aragão
Demografia
Demografia
Do total da população de São Tomé e Príncipe, com aproximadamente 187.356 habitantes (Censo 2012) [...] Foto:...
Venha Conhecer São Tomé e...
Venha Conhecer São Tomé e...
São Tomé e Príncipe é um destino ideal para conhecer uma África amável [...] Foto: Cruza Mundos São Tomé...
Ússua
Ússua
Nasceu no início do século XX, sendo uma dança praticada pelos "filhos da terra" de inspiração europeia:...
O País Lusófonia Política Economia Sociedade Desporto Educação Cultura Multimédia Saúde
Cultura Angola     Embaixadas Futebol        
Demografia Brasil   Turismo Serviços Basquetebol   Gastronomia    
Geografia Cabo Verde   As praias Emprego Ciclismo   Folcrore    
História Guiné Bissau   Ecoturismo Imobiliário Canoagem   Festas Locais    
Clima  Moçambique   A Capital Meteorologia  Clubes        
Fotos  Portugal      Tecnologia Taykwondo        
  Timor     Links Úteis Capoeira        
  S.Tomé e Príncipe       Xadrez        

© 2015 STP Digital Lda. Todos os direitos reservados. | Desenvolvimento por Albatroz Digital | Manutenção por STP Digital Lda | Termos e Política de Privacidade | Publicidade