×

Secções

Empresa

Idiomas

Cultura

Café e Fotografias de São Tomé e Príncipe na Mouraria

Foto: Juvenal Candeias
Com o objetivo de divulgar o que melhor se faz em São Tomé e Príncipe, a Mouraria recebeu uma mostra de artesanato e fotografias, seguida de degustação do café biológico de São Tomé e Príncipe e um desfile com o traje tradicional, no último sábado.
Juvenal Candeias
Juvenal Candeias

No dia mundial do café, 14 de Abril, a Associação Renovar Mouraria em Lisboa recebeu a Mostra “Café e Fotografias de São Tomé e Príncipe”. Esta mostra foi organizada pela empreendedora social, Dary de Carvalho, jovem sãotomense que reside em Portugal, com o objetivo de divulgar o que melhor se faz em São Tomé e Príncipe, valorizando as nossas origens e a nossa cultura.

Para além da exposição de fotografias, houve também uma mostra de artesanato, seguida de degustação do café biológico de São Tomé e Príncipe e um desfile com o traje tradicional, o quimono.

“Em São Tomé temos o melhor café do mundo, o café arábica que é 100% biológico e quis mostrar para Lisboa e ao mundo o melhor que temos”, disse a mentora do evento.

Dary confidenciou-nos que a mostra é resultado de duas viagens que realizou às ilhas maravilhosas: uma em 2015, e outra mais recentemente, em Novembro de 2017. “A ideia surge só depois do meu regresso para Portugal, quando decidi mostrar as pessoas o que vivi e senti durante a minha estadia em São Tomé e Príncipe. No fundo queria convidar as pessoas para uma viagem imaginária para as ilhas do leve-leve para que pudessem viver e sentir de perto toda a nossa simplicidade, num ritmo próprio das ilhas”, explicou.

A empreendedora social é apaixonada por São Tomé e Príncipe e pretende levar a bandeira do país para os vários cantos do mundo e não ficou surpreendida com a reação do público.Na verdade já sabia que as pessoas iam ficar maravilhadas. 80% dos portugueses bebem café todos os dias. Sabia que ao convida-los para uma viagem de degustação do nosso café num local tão reconhecido como a Mouraria não poderia ser de outra maneira. Ficaram encantados e apaixonados pelo nosso país e pelo nosso café”.

Encontrou algum erro neste artigo? Sugerir correção