×

Secções

Empresa

Idiomas

Economia

São Tomé e Príncipe apresenta um défice no saldo comercial

O Instituto Nacional de Estatística apresentou dados provisórios do comércio externo referente ao primeiro trimestre deste ano em dívida das exportações de bens com uma descida de 11%. O défice da balança comercial caiu 17,6 por cento fazendo com que a taxa de cobertura das exportações seja de 2,5%.

A informação avançada em comunicado de imprensa pelo Instituto Nacional de estatística indica que a balança comercial de São Tomé e Príncipe é deficitária, com um baixo grau de cobertura das exportações pelas importações.

De acordo com a nota, o cacau atingiu um total de 296,4 toneladas correspondendo ao valor de 15,5 mil milhões de dobras conhecendo uma diminuição em quantidade na ordem de 33,4% e em valor na ordem de 36,3%. E quanto ao destino das exportações, os Países Baixos foram destacados com 42,6%, Bélgica com 21,7%, Alemanha com 12 %, culminando no seu total um peso de 76,3% sobre o valor total das exportações.

No passado, os principais mercados de destino das exportações santomenses foram os mesmos apresentados acrescentando França e Espanha e variando Portugal entre a 5.ª e a 6.ª posição. Entre os restantes mercados verificou-se Angola, os EUA, a Nigéria, o Gabão e a África do Sul.

A nota sublinha que os primeiros indicadores das importações de bens cresceram em 13,5% em relação aos valores nominais com destaque aos produtos alimentares como o arroz, farinha de trigo e açúcar em 2192 toneladas, 291,8 toneladas, 493,4 toneladas. No que concerne aos combustíveis a gasolina elevou-se a 65%, gasóleo 52 % e petróleo 45% devido ao elevado custo de aquisição.

A proveniência das importações, Portugal e Angola foram os mais destacados com um peso de 51,6% e 22,5%. De Portugal, incidiram principalmente produtos alimentares e agrícolas. E de Angola o combustível e o cimento, proporcionando uma diminuição de 17,6% no défice da balança enquanto a taxa de cobertura das exportações foi 2,5% do total das importações. O grupo dos combustíveis minerais compreendeu um valor de 153,2 mil milhões de dobras determinando um acréscimo de 66,3% comparando com o mesmo período do ano anterior que foi 92, 1 mil milhões de dobras.

São Tomé e Príncipe está em 57.º lugar como cliente de Portugal, sendo que as exportações portuguesas para este país representam apenas 0,13% do total, mesmo que em 2017 as exportações portuguesas para o arquipélago desceram 12,2% de Janeiro a Novembro face ao mesmo período de 2016, a primeira queda desde 2012, segundo dados da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

De ressaltar que em 2016, as importações feitas para São Tomé e Príncipe, praticamente foram responsáveis pela estabilização do comércio face ao ano de 2015 (+0,4%), com as exportações a crescerem (+15,1%). Nos primeiros meses de 2017 as importações aumentaram (+11,1%) e as exportações +2,8%, com o défice a crescer (+11,9%).

Encontrou algum erro neste artigo? Sugerir correção

Comentários

Comentar
error: Content is protected !!