×

Secções

Empresa

Idiomas

Boxe

Um Fenómeno Sãotomense no Boxe Internacional

El fenomeno
El fenomeno (Imagem: Reprodução Celso "El fenómeno" Neves)

No mundo do boxe profissional é conhecido como Celso “El fenomeno”. Celso Amado das Neves, nasceu no distrito de Água-Grande, em 06 de Agosto de 1990 e aos sete anos partiu de São Tomé rumo ao Porto, onde os seus pais o aguardavam. Mas foi na Suíça, para onde se mudou em 2012, que realizou o sonho de ser atleta profissional de Boxe.

 

Treino
(Imagem: Reprodução Celso “El fenómeno” Neves)

 

Celso entrou para o mundo do boxe em meados de 2007. Começou por treinar em casa em frente ao espelho.

“Aquele espelho deve recordar-se de mim até hoje. (risos) Foram horas e horas que passei tentando aperfeiçoar a minha técnica.”

Pouco tempo depois acabou por saber que existia um clube de boxe perto da sua casa e não hesitou.

Highlights In Porto/ Portugal from ElfenomenoBOXING on Vimeo.

Naquela altura, o jovem atleta praticava futebol, boxe, ginásio e estudava. “A paixão pelo boxe foi crescendo com o tempo, até que um dia decidi abdicar de tudo para concentrar-me somente neste desporto.” Após um ano de treino intenso, Celso informou-se sobre as melhores academias para a prática de boxe e foi assim que encontrou o departamento de boxe do Boavista FC.  “Lá cresci e desenvolvi ainda mais o meu estilo”. Estilo inspirado no seu ídolo, o norte-americano Floyd Mayweather, um dos maiores nomes da história do boxe profissional.

 

“Adorava ver os seus combates e imitar os seus reflexos para poder trazer algo de novo ao meu estilo. Sem dúvida, Floyd é o atleta que mais me inspira até ao momento”, confidenciou.

Na academia
(Imagem: Reprodução Celso “El fenómeno” Neves)

 

“El fenómeno”
Em 2012, Celso mudou-se para a Suíça com o objetivo de singrar no mundo do boxe profissional. “Em Portugal poucos eram os atletas profissionais, e os que eram não viviam só do desporto. O boxe em Portugal não era tão popular como nos dias de hoje.”
“El fenomeno” é o seu nome de guerra e foi-lhe atribuído pelo seu antigo treinador pela sua forma de lutar e pela sua história.

 

Torneio
(Imagem: Reprodução Celso “El fenómeno” Neves)

 

Antes de entrar no ringue, Celso “El fenomeno” tem um ritual: “Eu penso na minha mãe e na minha família. Penso em todas as batalhas que cada um de nós passou, penso no meu filho… todos eles são a minha força.”

 

inspiração
(Imagem: Reprodução Celso “El fenómeno” Neves)

Para “El fenomeno” todas as lutas são memoráveis, mas recorda-se especialmente de duas enquanto atleta amador. “Estes dois combates foram em 2017: o primeiro na meia final do campeonato suíço, após três rounds eu tinha a certeza que seguiria em frente na competição, porém os juízes decidiram pelo lado contrário. O segundo foi no maior torneio da Europa (Londres) eu, vi novamente o braço do meu adversário ser levantado após ter realizado três rounds espetaculares. Contudo, ficou a sensação de um fim vitorioso,” contou emocionado.

STP no coração
(Imagem: Reprodução Celso “El fenómeno” Neves)

Os primeiros anos de vida de Celso foram longe dos seus pais, os seus heróis, que haviam emigrado para Portugal. “Eu e o meu irmão fomos deixados a cargo da minha avó enquanto eles reuniam as condições para nos receber”.
Disse-nos que apesar da ausência dos pais foram anos felizes. “A minha avó para além de avó, foi uma mulher espetacular, cuidou de nós com o pouco que tinha, éramos os seus netos queridos e por isso durante a ausência dos meus pais nunca nos faltou nada”, contou o jovem pugilista.

 

Em 1997, Celso e o irmão juntam-se aos pais na cidade do Porto. “Desde muito cedo sentimos as dificuldades da mudança para um país novo, escola nova, hábitos novos, amigos novos… Enfim, tudo era novo, mas o mais impressionante foi a forma como nós, com apenas 7 anos de idade, soubemos lidar com tudo aquilo. Íamos sozinhos para a escola, porque nem sempre eles nos podiam levar, acordavam às 4:00 da manhã para ir trabalhar e nós tínhamos que ser adultos na ausência deles. Éramos independentes, o que no início não foi fácil, pois era uma cidade grande. Na altura ainda não havia tantos africanos lá como hoje, por isso o racismo era constante”.

Rumo ao topo
(Imagem: Reprodução Celso “El fenómeno” Neves)

 

Celso contou ainda que a mãe era constantemente chamada à escola porque ele batia nos colegas em reação aos ataques racistas de que era alvo. “Eu não aceitava. (risos) Era o guardião do meu irmão e ele o meu e não deixava que nada de mal nos atingisse.”
Se na escola o ambiente era um pouco tenso, já o ambiente familiar sempre foi bom, o que foi decisivo para o crescimento de Celso e do irmão. “Nunca seguimos maus caminhos. Vimos muita coisa má, na escola, na rua, etc., mas nunca trouxemos aquilo para as nossas vidas e sempre separamos as coisas más e ficamo-nos pelas boas. Hoje eu sou tudo aquilo me ensinaram, e tudo aquilo que a infância fora de casa me ensinou, que é ser independente.”

 

Vivendo o sonho
Depois de vários anos de luta, disputa de campeonatos amadores nacionais e internacionais, este ano Celso, finalmente, conseguiu concretizar o sonho de ser atleta profissional. Estreou-se com uma vitória magnífica sobre o seu adversário. “Quero dar continuidade a este sonho e anseio chegar às mais importantes ligas do boxe e juntar imensos títulos”, partilha.


Mas “El fenomeno” também tem os seus receios: “o meu maior medo é não conseguir todos os meus objetivos enquanto desportista. Mas eu tenho um segundo plano: caso o primeiro não dê certo um dia treinarei alguém para os concretizar por mim.”

 

Celso adora praticar desporto, disse-nos que se não tivesse escolhido o boxe, com certeza teria sido o futebol.
Apesar de poucas horas livres, a vida do pugilista não é apenas boxe. Quando não está a trabalhar adora estar simplesmente deitado no sofá, ver televisão e dormir.

Perguntamos-lhe se já alguma vez lhe pediram para perder. “Não, mas acredito que a corrupção se vive em todos os desportos de igual forma. Eu nunca me venderia por nenhum preço, pois eu dedico-me a ser profissional e gosto daquilo que faço.”

Encontrou algum erro neste artigo? Sugerir correção

Comentários

Comentar
error: Content is protected !!