×

Secções

Empresa

Idiomas

São Tomé e Príncipe Turismo

Le Voyageur, Rached Trimèche | Há mais e 30 anos fazendo do mundo a sua casa

A história do Club International des Grands Voyageurs (Clube internacional dos grandes viajantes) – CIGV começa com Rached Trimèche, o fundador e actual presidente do CIGV a 4 de Agosto de 1982 em San Ruan (Porto Rico), num 1º encontro entre os membros da associação dos viajantes em uma deliberação unânime.

O Club international des grands voyageurs (CIGV), com sede em Tunísia, é uma associação (ONG) global, actua em 181 países que dispõem clubes nacionais divididos em regiões ou delegações. Este clube tem como missão unir pessoas que visitaram pelo menos 50 países de modo a fomentar entre os viajantes do mundo todo a fortalecerem laços de amizade, partilhando experiencias e conhecendo culturas, num clima de êxtase e de inspiração comum, de ajuda mútua e segura, a fim de contribuir para uma verdadeira confiança e convivência em harmonia. Pois socializar com os viajantes que pensam da mesma forma é o objectivo principal. Aqueles que visitaram apenas 25 a 49 países podem participar como “membros aspirantes”.

O lema do CIGV é a “Tolerância” e seu lema “Paz no Mundo”. Com uma bagagem cheia de experiências da vida, de lugares por onde visitou, e gente que deixaram saudades Rached Trimèche, prima pela paz e pela reaproximação das culturas.

Rached Trimèche que também é farmacêutico, sublinha a importância que as viagens têm no encontro entre as diversas culturas do mundo, especialmente nestes tempos em que mais de novecentos milhões de pessoas fazem deslocações internacionais, favorecidas pelos modernos meios de comunicação.

Esta organização não Governamental (ONG) através dos testemunhos dos seus membros tem atraído cada vez mais pessoas a juntarem-se ao clube dos viajantes que segundo Rached Trimèche presidente e fundador do clube são pessoas de “espírito livre e apaixonadas pela vida”. Qualquer pessoa pode fazer parte deste clube, basta justificar um certo número de países que visitou, com um mínimo de 20 países visitados, de um total de 246.

Entretanto, Le Voyaer junto aos seus colaboradores criaram a revista ASTROLABE que surge como o meio cultural dos Grandes Viajantes. O CIGV-NEWS publicado mensalmente em vários idiomas, relaciona a vida do clube e os seus membros no mundo. E a cada 18 meses, os grandes viajantes reúnem-se num Congresso Mundial num país diferente.

O Club International des Grands Voyageurs não somente limita-se a contar e partilhar histórias, também atribui prémios a aqueles que mostram coragem e tenacidade pelos seus feitos. Entre eles, personalidades como Nelson Mandela, Jaques.Yves Costeau, Ingrid Betancourt e o cientista Pof. Stephen Hawking.

 “A revista de clube internacional dos Grandes viajantes faz hoje 34 anos, e é vendida em 194 países. O único tema pelo qual criamos a revista é a viagem. Entretanto, esta não é um a revista para os turistas e sim para os viajantes. Viajar não é fazer turismo”.

Rached Trimèche, natural da Tunísia, é um homem multifacetado, para além de presidir o clube, formou-se em farmácia, é blogueiro, jornalista e editor-chefe da Revista Cultral Internacional, a ASTROLABE. Desde os 20 anos até a presente data tem visitado 203 países, sendo São Tomé e Príncipe o mais recente. Através das voltas que dá no mundo, recolhe impressões de viagens, reltórios e tudo um pouco dos seus leitores.

Focado em lugares, pessoas e culturas, o fundador do CIGV, Le Voyageur (o viajante) do mundo como se intitula, que encontra-se em São Tomé e Príncipe diz que “A coisa mais importante para um viajante é conhecer o outro. Nossa riqueza é a nossa diferença. Sou rico contigo e talvez sejas rico comigo”. E São Tomé e Príncipe sempre esteve na sua lista de países que sempre desejou visitar.

Eu sou, digamos, apenas um viajante, e sempre desejei conhecer novos países. Na verdade não tenho muito tempo para o fazer, mas eu pego avião 20 vezes ao ano para viajar pelo mundo e para os mesmos países. E só apenas uma vez ao ano, que viajo para um novo país. E São Tomé e Príncipe, para mim sempre foi um sonho. Já a 25 anos que sempre quis cá vir, mas STP não está ao virar a esquina da avenida número 5. É muito complicado. Mesmo assim decidi vir, porque para mim este país é algo fantástico. Quando saí do aeroporto, o meu primeiro passo contei o 2, com o segundo passo contei o 0 e com o terceiro passo contei o 3, ou seja, completei os 203 países que visitei. E hoje STP é um novo pais para mim. Portanto estou casado com STP”.

Rached Trimèche, nacional da Tunísia, viajante-aventureiro-explorador para além de presidir o clube, também é editor-chefe da Revista Cultural Internacional, a ASTROLABE. Desde os 20 anos até a presente data tem visitado 203 países, sendo São Tomé e Príncipe o mais recente.

O CIGV que este mês completou 36 anos de existência está representado em 187 países do mundo. Mas nos países que não tenha pelo menos 10 membros inscritos na sede internacional a fim de formar um clube de nacional, um coordenador indicado pelo Presidente Mundial que assegura a ligação entre Cigévistes e a sede internacional de Tunísia, não podem fazer parte a não ser que respeite essa regra.

CIGV por outras palavras é uma comunidade mundial unida que busca aproveitar tudo que o mundo pode oferecer.

 

Encontrou algum erro neste artigo? Sugerir correção