×

Secções

Empresa

Idiomas

Entrevistas São Tomé e Príncipe

Ministro da Juventude: “A fonte para financiamento dos projetos é uma questão que preocupa qualquer governo”

 

O STP Digital esteve à conversa com o Ministro da Juventude, Desporto e Empreendedorismo do XVII Governo Constitucional de São Tomé e Príncipe, liderado pelo Primeiro Ministro, Jorge Bom Jesus.

Vinicio Teles Xavier de Pina é formado em administração de empresas no Brasil, já exerceu as funções do Diretor Financeiro no Ministério da Educação, dentre outras funções.

STP Digital – Está em funções há menos de uma semana. Como encara este desafio?

Encaro esta função com responsabilidade bastante acrescida. Sobretudo porque venho de uma trajetória de liderança ao nível de associativismo juvenil, passando pela liderança da organização política da juventude do meu partido tanto ao nível distrital quanto ao nível nacional. Por outro lado, sendo um jovem nesta função, estou convencido de que as expetativas da juventude são ainda maiores em termo de desempenho e de resultado.

De igual modo, iremos encarar o desporto de uma forma diferente nesta nova legislatura, tanto ao nível das modalidades olímpicas, quanto na promoção da saúde. A Juventude e o Desporto devem andar de mãos dadas.

STP Digital – Das visitas que já efetuou até então e do diagnóstico feito, o que mais o surpreendeu?

Primeiramente a subvalorização dos Recursos Humanos, muitos até altamente qualificados e totalmente disponíveis a darem as contribuições para o engrandecimento dos setores.

Por outro lado, as infra-estruturas onde estão instaladas as Direções afetas ao Ministério encontram-se em avançado estado de degradação, carecendo de uma intervenção urgente.

Há que se dar uma atenção de facto ao MJDE, aproveitando todo o potencial existente.

STP Digital – Qual é a visão estratégica para a pasta da juventude do XVII governo?

Ao nível da juventude, a nossa estratégia passa por uma visão transversal em políticas de Juventude, com uma abordagem global desta mesma transversalidade. As problemáticas da juventude poderão ter solução global, aplicando de forma local de acordo à especificidade desta mesma problemática.

Já existe um documento orientador que é a Estratégia Nacional de Politica para a Juventude 2018-2020 em que vários autores sobretudo jovens, estiveram envolvidos na sua elaboração e que este Governo não deve descurar. Há que se ancorar a este documento para dar resposta ao que nele foi espelhado enquanto preocupação e possíveis linhas de solução.

Quanto ao Desporto, o governo pretende promover o Desporto ao nível nacional, a nossa política deve passar por uma parceria, onde possa haver apoios técnicos e até mesmo financeiros. Por outro lado, temos a prática do desporto como promoção da saúde e mudança social.

STP Digital – À sua pasta foi acrescentada a designação “Empreendedorismo”. É uma mensagem para os jovens empreendedores?

Mais que uma mensagem, queremos de facto dar uma resposta aos jovens empreendedores. Fala-se muito do Empreendedorismo jovem mas, pouco ou nada se fez porque não se conseguiu ver o verdadeiro alcance do empreendedorismo.

O empreendedorismo é uma vertente económica que permite movimentar o mercado de emprego, formação e capacitação e gerar valores financeiros na economia.

STP Digital – Os jovens empreendedores há muito clamam por um programa de empreendedorismo, que inclua incubadora de startups e incentivos fiscais. Será desta? E como pretende esculpi-lo?

De facto as políticas fiscais ou a falta dela têm constituído entrave aos jovens empreendedores, inclusive há um estudo em andamento em que o resultado vai mesmo nesta direção. Mas há também os outros factores acima referenciados que são de extrema importância para dar os primeiros passos (incubadora de startups, apoio técnico, crédito aos empreendedores dentre outros).

Todos temos que entender que o empreendedorismo pode ser uma solução não só para a juventude mas também para a problemática de falta de emprego e geração de receitas fiscais.

STP Digital – Não se pode falar em emancipação da juventude sem falar de emprego e independência financeira. O que o seu pelouro pretende fazer neste sentido?

A nossa política passa por ações coordenadas entre os Ministérios. Como podem observar na orgânica deste governo, a Formação Profissional está associada ao Ministério de Trabalho e o Empreendedorismo associado a Juventude. Isto para dizer que estamos de facto preocupados com esta emancipação da juventude e independência financeira. Temos uma economia frágil ao nível dos privados e a nossa política passa pela consolidação desta economia com intervenções precisas e direcionadas em públicos e áreas estratégicas.

STP Digital – Relativamente ao desporto, quais são os seus planos para esta pasta, nomeadamente o desporto escolar?

Com já havia feito referencia, é importante consolidar os desportos nacionais já existentes para que os mesmos sejam massificados. Agir em parcerias com federações desportivas, disponibilizar apoios para que as práticas desportivas se efetivem.

Por outro lado, temos que descentralizar estas práticas desportivas, com políticas claras. Para isso iremos aproveitar as infra-estruturas existentes (pólos desportivos), melhorá-las e criar outras infra-estruturas desportivas de acordo com a nossa estratégia.

Quanto ao desporto escolar, também passa por uma ação coordenada com o Ministério da Educação. Jovens estudantes devem ser os viveiros olímpicos. Há que haver acompanhamento técnico e conceder bolsas desportivas para atletas estudantes.

STP Digital – Qual gostaria que fosse, no final, a marca do seu mandato?

De facto há muito a ser feito ao nível da juventude, Desporto e Empreendedorismo. O historial do OGE ao nível da Juventude e Desporto e sobretudo na sua execução não foram nada animadores. Porém, tudo farei para que os nossos objetivos sejam cumpridos ao final dos 4 anos desta legislatura: que o país tenha uma nova classe de jovens empresários capaz de gerar e dar emprego aos outros jovens como forma de diminuir o desemprego. Ao nível do desporto, a esperança é que o país se torne um canteiro para as práticas desportivas até mesmo por questões de saúde.

STP Digital – Muitos terminam o seu mandato referindo a falta de financiamento para justificar a falta de ações. Muitos projetos ficam no papel por falta de apoio. Será que não está na altura de desenhar os projetos com orçamento A (o possível) e o B (com apoios internacionais)? Qual é a sua filosofia de ação?

De facto, a fonte para financiamento dos projetos é uma questão que preocupa qualquer governo uma vez que a receita interna é bastante limitada. Porém, a garantia dos financiamentos externos passam sobretudo pela credibilidade dos projetos e dos dirigentes juntos as entidades doadoras. E este governo está empenhado neste sentido, apostando na gestão transparente e combate a corrupção.

Por outro lado, a criatividade para busca de alternativas pode e deve ser uma opção a ser considerada.

STP Digital – Que mensagem deixa para a juventude?

Este governo está empenhado e comprometido com o país, com uma atenção muito especial a juventude. E tudo faremos para dar resposta as preocupações desta juventude. Por isso fica uma mensagem de esperança de dias melhores. Contamos com a colaboração de todos para a efetivação dos objetivos preconizados.

Encontrou algum erro neste artigo? Sugerir correção