Desporto S. Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe eliminado na primeira ronda no Open de Luanda

Magney Godinho, 21 anos, representou São Tomé e Príncipe na categoria de -73 kgs no Open de Luanda, que decorreu de 6 a 9, na capital angolana. Apesar de ter sido eliminado na primeira ronda pelo atleta Kasota Gedeon da República Democrática do Congo, a participação de Magney Godinho no evento foi uma oportunidade valiosa para adquirir experiência e conhecimentos na modalidade.

O Judo Global de São Tomé e Príncipe tornou-se recentemente membro da Federação Internacional de Judo, o que permite a participação de atletas do país em competições internacionais e dão uma maior visibilidade da modalidade no país.

O judoca participou pela primeira vez em competições internacionais de judo e, isso representou um marco importante para a modalidade no país e para a carreira do atleta.

O seu interesse pelas artes marciais começou quando ainda andava no ensino secundário, isto é, pelo Karaté. Aos 12 anos voltou sua atenção para o judo.

“Magney Godinho é um aluno dedicado de judo que começou a treinar em 2012”, disse André Rosa, Presidente do Judo Global de STP.

Atualmente, é treinador principal da Academia de Judo de São Tomé e instrutor de Judo Global na Escola Portuguesa de São Tomé e Príncipe.

Em 2022, foi campeão nacional de judo na primeira edição do campeonato nacional da modalidade realizada na Região Autónoma do Príncipe.

“Desde muito cedo fui treinador, não propriamente atleta. Muitos viajaram e eu como estudava no secundário, continuei lá. Eu tornei-me autodidata. Sempre fui meu próprio mestre, tive ajuda dos mais antigos, mas treinei sozinho”, disse Magney Godinho.

A participação de Magney Godinho no Open de Luanda teve o apoio da Federação Angolana de Judo e do Comité Olímpico de São Tomé e Príncipe.

Segundo Magney, viajar sozinho para um país estrangeiro foi uma das primeiras dificuldades da prova.

Eu tive uma espécie de bloqueio mental, desmoralização. Pensar como vai acontecer, o que vou fazer, chegar no aeroporto sem saber quem ia pegar-me, sem treinador sem ninguém, foi complicado”, confessou Magney.

Apesar das dificuldades, para o judoca “foi uma experiência única”. O atleta continuará em Luanda até o dia 14 de abril para continuar com treinos e participar num estágio internacional, que esta a ser ministrado pelo Sensei português Renato Kobayashi, para aprimorar as suas habilidades na modalidade. Magney Godinho disse que adora judo, e, que o seu sonho é ganhar e levar para o país a Medalha Olímpica.

“Como um dos principais judocas de São Tomé e Príncipe, a participação do Magney no Luanda Open é um marco importante na sua carreira. Esperamos que este seja apenas o começo de muitas outras conquistas e sucessos que estão por vir”, disse o Presidente do Judo Global de STP.

André Rosa disse ainda que espera ver mais atletas de São Tomé e Príncipe a participar em competições internacionais de judo no futuro.

 

Sobre o Autor

Jaquilza Gomes

Jaquilza Gomes é licenciada em Língua Portuguesa pela Universidade de São Tomé e Príncipe (FCT/USTP). Participou na criação da obra conjunta “Ilhas de Palavras”. Nas horas livres dedica-se ao desenho, escrita, poesia, contos e reciclagem.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
error: O conteúdo está protegido!!