Lusofonia Sociedade

Conferência Proteção Social e Mutualismo em São Tomé e Príncipe

Mutualismo
A União das Mutualidades Portuguesas (UMP), em parceria com A Mutualidade de Santa Maria, Federação das Organizações Não Governamentais de São Tomé e Príncipe, Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa e a Universidade de São Tomé e Príncipe, vai levar a efeito uma Conferência sobre a proteção social e mutualismo no dia 31 de maio, 8h30, no Hotel Pestana São Tomé, em São Tomé e Príncipe.

O que é o Mutualismo?

Como poderá este modelo económico e social complementar dos sistemas públicos de previdência e proteção social contribuir para o combate à pobreza em São Tomé e Príncipe?

São questões como estas que a Conferência Internacional “O papel da proteção social complementar para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em São Tomé e Príncipe: o caso do mutualismo” se propõe debater com os são-tomenses.

Programa Mutualismo

Atendendo ao apelo de várias agências internacionais para a relevância da proteção social no combate à pobreza, a conferência, iniciativa cofinanciada pelo Camões I.P, visa discutir as potencialidades do mutualismo no desenvolvimento de novas soluções adequadas às necessidades dos cidadãos e das famílias santomenses e sensibilizar a sociedade para a pertinência da introdução do mutualismo no território, como uma resposta complementar do sistema público.

Esta iniciativa vai contar com a presença das principais figuras de Estado são-tomense (Presidente da República, Carlos Vila Nova*; Primeiro-Ministro, Jorge Bom Jesus; e Ministro do Trabalho, Solidariedade, Família e Formação Profissional, Adlander Costa Matos*), universidade e instituições sociais locais, Vice-Presidente do Instituto de Segurança Social de Portugal, Catarina Marcelino; entre outros.

Formulário de Inscrição

Sobre o Autor

Redação

Diário digital generalista, que prima pelo jornalismo exigente e de qualidade, orientado por critérios de rigor, isenção e criatividade editorial. Acreditamos que a existência de uma opinião pública informada, activa e interveniente é condição fundamental da democracia.

error: O conteúdo está protegido!!