Covid-19 Saúde

São Tomé e Príncipe regista mais três óbitos e aumenta para 258 casos

Ministério da Saúde
Três pessoas morreram nas últimas 24 horas por covid-19 em São Tomé e Príncipe, elevando para 11 óbitos, registando-se também mais sete doentes, que totalizam agora 258, informou a porta-voz do Ministério da Saúde.

“Nas últimas 24 horas efetuaram-se 15 testes rápidos, dos quais oito tiveram resultados negativos e sete positivos. São Tomé e Príncipe tem neste momento um acumulado de casos positivos de 258 pacientes e temos [mais] três óbitos, disse Isabel dos Santos.

De acordo com a mesma fonte oficial, dos novos três óbitos, dois foram registados na terça-feira e um hoje de manhã.

“O primeiro óbito é um paciente do sexo masculino, 43 anos de idade, faleceu pouco tempo depois de dar entrada no Hospital Aires de Menezes, o segundo é uma senhora de 63 anos que faleceu no centro de isolamento do hospital, e o terceiro óbito é um cidadão de sexo masculino, 57 anos, e faleceu esta manhã no [serviço] sintomático respiratório”, explicou a porta-voz do ministério.

De acordo com Isabel dos Santos, “mais 15 pacientes encontram-se internados no Centro de Isolamento do principal hospital do país e outros 17 estão no sintomático respiratório”.

São Tomé e Príncipe tem 258 casos positivos acumulados de infeção pelo novo coronavírus, dos quais 228 em isolamento domiciliar.

Em dois meses desde que a doença foi declarada pelas autoridades sanitárias registaram-se 11 mortes.

O ministro da Saúde considerou “a situação muito grave” e pediu o “concurso de todos” para formar “uma frente comum única” de combate contra o novo coronavírus em São Tomé e Príncipe, onde o primeiro-ministro lamentou que a população “não está a colaborar”.

Em África, há 2.919 mortos confirmados, com mais de 91 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 323 mil mortos e infetou quase 4,9 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,8 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Texto: Agência Lusa