Covid-19 Saúde

Sobe para 611 número de infetados com Covid-19 em São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe
© STP Press
O número de pessoas com infeção pelo novo coronavírus em São Tomé e Príncipe aumentou para 611, depois que mais 4 casos detetados em 12 testes rápidos realizados nas últimas 24 horas e 93 novos casos positivos dos 600 testes realizados no laboratório do Gana, segundo o boletim diário, divulgado pela fonte do Ministério da Saúde.

De acordo com a atualização de hoje do boletim covid-19, divulgado pela Agência Lusa, efetuaram 12 testes rápidos, sendo que 4 deram positivos, 8 negativos e de acordo com os resultados dos 600 testes realizados no laboratório do Gana, 478 deram negativos 122 deram positivo, das quais 119 são de pacientes de São Tomé e três são residentes na ilha do Príncipe.

De sublinhar que, de entre os 119 infetados da ilha de São Tomé, 93 “são casos novos”,  estes novos casos juntam-se mais 4 casos  que deram positivo de 12 testes rápidos realizados nas últimas 24 horas, tendo o número total de casos subido de 514 para 611 por acumulação.

O número de óbitos continua em 12, e segundo as autoridades de saúde, no hospital de campanha estão 6 cidadãos internados com infeção pelo novo coronavírus, 458 estão em isolamento domiciliar, 2 pacientes sintomáticos respiratórios, 3 cidadãos em quarentena na Região Autónoma do Príncipe, número de recuperados aumentou de 76 para 135.

Em África, há 5.334 mortos confirmados e cerca de 196 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infeções (1.389 casos e 12 mortos), seguida da Guiné Equatorial (1.306 casos e 12 mortos), Cabo Verde (567 casos e cinco mortes), São Tomé e Príncipe (611 casos e 12 mortos), Moçambique (453 casos e dois mortos) e Angola (96 infetados e quatro mortos).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 406 mil mortos e infetou mais de 7,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano passou a ser o que tem mais casos confirmados, embora com menos mortes.

MS / Agência Lusa