S. Tomé e Príncipe Sociedade

Programa Tatô sensibiliza alunos sobre Parque Natural Ôbo de São Tomé

O projeto "Apoio à melhoria da gestão das zonas costeiras do PNOST” implementado pela Associação Programa Tatô financiado pelo "BIOPAMA", tem levado a cabo atividades com os alunos das zonas periféricas de São Tomé com o objetivo de os informar sobre a existência do Parque Natural Ôbo de São Tomé (PNOST).

Este projeto teve início em Maio deste ano, e tem como objetivo contribuir na melhoria da gestão das zonas costeiras do Parque Natural Obô de São Tomé, através de atividades como a monitorização e proteção da biodiversidade costeira, seguimento e avaliação das ameaças à biodiversidade costeira.

Entre estas e outras atividades de sensibilização, está a educação e comunicação ambiental, que é realizada através de atividades nas escolas, reuniões informais nas comunidades, organização de eventos culturais e ambientais.

O STP Digital conversou com o Assistente de Coordenação do Programa Tatô, que falou sobre estas ações nas escolas.

“Esta atividade junto aos alunos das comunidades periféricas do PNOST é apenas uma das atividades de sensibilização do projeto, que consiste em informar e sensibilizar os alunos sobre a existência do Parque Natural Ôbo de São Tomé. Sobre a sua importância como sendo uma área protegida e que constitui um habitat único para diversas espécies de animais e plantas especialmente para aquelas que são endémicas”, disse o Assistente de Coordenação Programa Tatô, Antunes Pina.

Ainda segundo Antunes Pina, estas atividades servem para informar os alunos sobre os vários serviços ecossistémicos do Parque, ou seja, mostrar os benefícios do Ôbo e como podem contribuir para sua proteção.

Estas ações foram concebidas para os alunos das comunidades costeiras: Praia das Conchas, Morro Peixe, Plancas, Porto Alegre e Santa Catarina, que se encontram dentro e ao redor das zonas costeiras do PNOST.

A sensibilização é feita por meio de boletins que contêm informações sobre o Parque Natural Ôbo de São Tomé de forma muito gráfica e animada. Também utilizam jogos que ajudam as crianças a aprenderem sobre o parque, e, portanto, “são apresentadas de maneira muito animada e participativa”.

“Este é o terceiro ano consecutivo que distribuímos este boletim escolar “N’Guê di Omali” pelas crianças das diversas comunidades costeiras alvo da ilha de São Tomé, onde todos os anos abordamos um tema específico, com vários jogos educativos e utilizando como mascotes as espécies de tartarugas marinhas que ocorrem em São Tomé”.

De acordo com o Assistente de Coordenação Programa Tatô, as atividades têm corrido conforme planeadas. Os alunos têm recebido de maneira positiva as informações que são “totalmente novas para eles e é algo que capta muito a
Atenção deles”.

“A partir destas ações de educação ambiental eles ficam a saber da existência do Parque Natural Ôbo, dos seus benefícios para nós, da sua grande importância para diversas espécies que temos na nossa ilha e que nós temos o dever de o proteger. E depois das atividades eles ficam muito sensibilizados com o que aprenderam e acreditamos que serão bons meios para ajudar a difundir as informações sobre o Parque Natural Ôbo”.

Antunes Pina disse que o público-alvo, os parceiros e os beneficiários têm acolhido positivamente e participado no projeto, que vai continuar até Abril 2023.

Durante esse período, o Programa Tatô pretende melhorar de forma eficaz e duradoura a gestão das zonas costeiras do PNOST, com intuito de preservar a sua biodiversidade única e ao mesmo tempo de valorizar de forma econômica e sustentável este patrimônio natural da Ilha de São Tomé.

O projeto “BIOPAMA” implementado pela Associação Programa Tatô é um projeto de 12 meses. É financiado pelo Programa BIOPAMA da UICN, que por sua vez, é financiado pela União Europeia e a Organização dos Estados ACP África, Caraíbas e Pacifico.

Este projeto é implementado pelo Programa Tatô em estreita colaboração com a Direção do PNOST, a Direção das Florestas e Biodiversidade, a Unidade de Polícia de Proteção do Ambiente e Biodiversidade UPAB, e a Capitania dos Portos.

Sobre o Autor

Jaquilza Gomes

Jaquilza Gomes é licenciada em Língua Portuguesa pela Universidade de São Tomé e Príncipe (FCT/USTP). Participou na criação da obra conjunta “Ilhas de Palavras”. Nas horas livres dedica-se ao desenho, escrita, poesia, contos e reciclagem.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
error: O conteúdo está protegido!!