Ambiente Sociedade

Startup santomense cria carvão ecológico que permite reduzir danos ao ambiente

A ECOBLÁSA, do jovem empreendedor Elísio Nunes, lançou recentemente um carvão amigo do ambiente, que não exala cheiro nem deixa gosto. Este carvão ecológico, não é tóxico, produz menos fumaça, cinza, fuligem, e tem a capacidade de queimar por mais tempo.

A partir da casca de côco que coleta dos produtores de óleo de côco, Elísio Nunes, de 30 anos, licenciado em Agronomia, produz carvão, que pode ser usado de forma sustentável e segura, através de um processo ecológico.

Elísio contou ao STP Digital que a ideia de produzir carvão ecológico surgiu em 2016 quando assistia a um programa televisivo moçambicano, no qual alguém fazia carvão através de cascas de côco.

“Vi o programa e aquilo suscitou em mim uma curiosidade.”

O empreendedor começou então a investigar por conta própria. Feita a investigação, concluiu que poderia fabricar o carvão e começou então a montar o plano financeiro para o seu projeto. Foi então que deparou com o seu primeiro desafio: “Vi que o valor para dar início ao projeto estava aquém das minhas capacidades financeiras naquele momento”, explicou.

Não se dando por vencido, o jovem foi à busca de meios para executar o projeto. Em meados de 2020, em plena pandemia Covid-19, durante a primeira quarentena, Elísio participou no concurso “Empreende Jovem”, e arrecadou o título de “Melhor Projeto Inovador”.

Um projeto do Ministério da Juventude, Desporto e Empreendedorismo, financiado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com o objetivo de lançar bases para a promoção de iniciativas empreendedoras da juventude santomense de forma sustentável.

Com o prémio, mais alguns empréstimos e a sua poupança, o agrónomo conseguiu finalmente “dar o pontapé de saída” ao seu projeto. Após meses de estudo intensivo, montagem de estratégias com fornecedores para aquisição das maquinarias, e outros desafios, Elísio avançou com a construção da sua unidade fabril, que se encontra localizada no Bairro dos Casados, em Santana.

O empreendedor juntou-se ao seu cunhado, Selton Santos, que contribui com a produção dos sacos ECOBLÁSA.

“A aquisição, transporte e instalação da máquina foi o maior desafio. Por isso, a primeira vez que vi a máquina a funcionar quase que explodia de alegria”, disse Elísio.

Segundo o jovem o processo de produção do ECOBLÁSA, apesar de simples, é acompanhado de um controle de qualidade com rigidez: “Pegamos as cascas de côco, selecionamos, carbonizamos, e depois colocamos na máquina para torná-las mais finas”, explicou. “A finalização do carvão é feita com uma betoneira e com a máquina de fazer briquetes. Os briquetes são depois colocados para secar numa espécie de estufa que consegui improvisar, e de quatro em quatro dias consigo produzir 400kg de carvão”, acrescentou.

Elísio contou ainda que os primeiros briquetes por ele produzidos foram usados na sua própria casa, a título de teste, e o resultado foi satisfatório.

“O carvão ECOBLÁSA é um produto diferente, ecológico, amigo do ambiente. As cinzas deste carvão podem ser utilizadas como adubo orgânico, o carvão dura quatro vezes mais em relação ao carvão feito de forma tradicional, tem alto teor calorífico, não emite toxinas e não suja panelas, quase que não suja a mão também”, explicou.

O projeto, além da vertente ambiental, também foca na vertente social: “Pretendo incentivar as mães desempregadas de algumas comunidades a fazerem recolhas das cascas de côco para depois comprar com elas e assim terão também o seu próprio rendimento”, afirmou Elísio.

Focado na missão de proteger o ambiente, Elísio deixou um conselho.

“O projeto ECOBLÁSA surge de um sonho e de um grito de socorro também. Somos santomenses, a ilha é nossa, não podemos depender apenas do que vem de fora, também podemos fazer. Antes tínhamos 1.001 km², hoje temos 960km². Antes a população era por volta de 150.000 habitantes, hoje somos pouco mais de 215.000 habitantes. E o que está a acontecer é que a terra está a diminuir e nós estamos a aumentar. Temos que ter ideias e iniciativas amigas do ambiente para podermos juntos alavancar o país e levá-lo além-fronteiras.”

Atualmente, o carvão ECOBLÁSA pode ser encontrado nos supermercados: Colombo, Super CKdo, e Intermar pelo preço de 130 Dbs/Sacos de 5kg.

Elísio anunciou ainda que o lançamento oficial do produto terá lugar no dia 17 deste mês (sexta-feira), às 15:30, na REINA, Incubadora Central da Rede Nacional de Incubadoras e Aceleradoras de Negócios de São Tomé e Príncipe. Um espaço impulsionador do empreendedorismo jovem, na capital santomense.

Sobre o Autor

Akaisa Borges

Akaisa Borges, é uma jovem versátil de espirito aventureiro, licenciada em Gestão de Empresas pela University of International Business and Economics (UIBE), Beijing, China. Actualmente é assistente de comunicação de marketing na empresa Tela Digital Media Group, apaixonada por arte, cultura e marketing. Ela acredita na lei da atração e está em constante busca por novos desafios.

error: O conteúdo está protegido!!