África S. Tomé e Príncipe Sociedade

Comissário Eridson Trindade, é o 1º santomense a integrar “capacetes azuis” da ONU

Sudão do Sul vai fazer 11 anos de independência e esperanças frustradas segundo analistas. Pela primeira vez vai contar com a presença de um quadro santomense enquadrado nos "capacetes azuis" da ONU, que trabalham no intuito de promover a paz e a estabilidade do povo sul-sudanês.

 

Num clima político e de segurança mundial onde as tensões andam afloradas e sensíveis, as operações de manutenção da paz da ONU são mais importantes agora do que nunca. Trabalhar e dar o seu contributo pela manutenção da paz, será a missão do Comissário Eridson Martins Gomes da Trindade, atualmente Diretor do Departamento das Relações Públicas e Cooperação e Porta-Voz da Polícia Nacional de São Tomé e Príncipe

É pela primeira vez que um santomense fará parte das Forças de Manutenção da Paz das Nações Unidas, popularmente conhecidas como “capacetes azuis”, entidade criada pela ONU e que operam em algumas das regiões do mundo que vivem uma situação de conflito e têm como missão acompanhar as disputas entre países e comunidades, evitando confrontos, ao mesmo tempo que conduzem negociações que possam pôr fim às disputas.

Segundo a nota da Nações Unidas, o Comissário Eridson Martins Gomes da Trindade foi destacado para África, concretamente para a Missão das Nações Unidas no Sul do Sudão (UNMISS). Recorde-se que Sudão do Sul já foi considerado o quarto país mais violento do mundo, embora a caminho de 11 anos de Independência no dia 09 de julho, o país ainda teme o regresso da guerra. 

O Sudão do Sul segundo a DW em Português, vive um conflito armado interno desde dezembro de 2013 (dois anos depois de se tornar independente do Sudão) e, desde então, embora em 2018 tenha sido firmado um acordo de Paz que ainda está a ser implementado, a violência causou dezenas de milhares de mortos e milhões de deslocados.

O comissário Eridson Trindade, que entra para a história de São Tomé e Príncipe, como o primeiro a fazer parte dos “capacetes azuis”, e antes da sua partida para Juba (capital de Sudão do Sul), efetuou visita de cortesia ao Eric Overvestv, Coordenador Residente das Nações Unidas em São Tomé e Príncipe.

 

 

Sobre o Autor

Mário Lopes

Mário Lopes, é um aficcionado por associativismo, marketing digital, comunicação, literatura e jornalismo! Conjuga diariamente todos estes múltiplos interesse com o sonho de ver São Tomé e Príncipe desenvolvido.

error: O conteúdo está protegido!!