Cultura Panorama

Panorama são-tomense de A a Z – Preservação e Valorização do Património Cultural

© Harry Purwanto
A República Democrática de São Tomé e Príncipe (STP) é um arquipélago com 1001 km², localizado a 350 km da costa ocidental de África, no Golfo da Guiné, composto por seis distritos e pela Região Autónoma do Príncipe. País de língua portuguesa, também com derivação no o crioulo “Fôrro”, “Anguéné”, “Lung'ie” e crioulo de Cabo Verde, conta com uma população de cerca de 225.000 habitantes (2021).

As Ilhas maravilhosas do equador são abençoadas com uma riqueza cultural e histórica que merece ser preservada e valorizada. O nosso país, com sua herança única que abrange desde a arquitetura colonial até as tradições culturais, gastronomias, clima tropical, é um tesouro que precisa ser protegido para as gerações futuras.

A preservação do património cultural de São Tomé e Príncipe é fundamental não apenas para manter viva a identidade única deste país, mas também para impulsionar o turismo sustentável e o desenvolvimento económico. As infraestruturas coloniais, como o Forte de São Jerónimo (Museu Nacional), a Sé Catedral de São Tomé, Cinema Marcelo da Veiga e o Palácio do Povo, contam histórias da era colonial e são testemunhas silenciosas do passado tumultuoso do país. Essas estruturas não apenas refletem a arquitetura da época, mas também servem como pontos de referência importantes para a compreensão da história e da cultura são-tomense.

Além disso, as tradições culturais, como as danças tradicionais “Danço Congo”, “Puíta”, “Ússua”, “Dexa” e outras celebrações como “Tchiloli” e o “Auto de Floripes”, são expressões autênticas da identidade do povo são-tomense. Preservar essas práticas culturais não apenas fortalece o orgulho nacional, mas também promove o intercâmbio cultural e a compreensão entre diferentes comunidades do País.

No entanto, a preservação do património cultural de São Tomé e Príncipe enfrenta desafios significativos. A falta de bom senso dos nossos governantes, apropriação indébita de bens públicos, a falta de financiamento, infraestrutura adequada e consciencialização sobre a importância do património cultural atualmente nas ilhas são obstáculos que precisam ser superados. É crucial que os nossos governantes, as organizações não governamentais e a comunidade local trabalhem em conjunto para desenvolver estratégias eficazes de preservação e valorização do património cultural.

https://dancocongo.com/en
José Chambel | Fotógrafo

Investir na educação sobre a importância do património cultural desde tenra idade é essencial para garantir que as futuras gerações reconheçam o valor de seu legado cultural e estejam motivadas a protege-lo. Além disso, a promoção do turismo cultural responsável, que respeite e valorize as tradições locais, pode proporcionar oportunidades económicas sustentáveis para as comunidades locais, incentivando-as a proteger seu património cultural.

Sou de opinião que a preservação e valorização do património cultural de São Tomé e Príncipe não é só apenas uma questão de proteger edifícios históricos e tradições culturais, mas também de salvaguardar a identidade e as almas que que partiram e deram a sua vida e conhecimentos em diferentes áreas para o desenvolvimento deste país. É hora de reconhecer a importância do património cultural como um recurso valioso e investir nos esforços necessários para protege-lo para as gerações presentes e futuras.

© Rui Sanches – Roça Vista Alegre

Eu acredito e sempre acreditei num novo rumo para São Tomé e Príncipe.

Muitíssimo obrigado a todos.

Sobre o Autor

Karlley Frota

Karlley Frota é um profissional digital, é o fundador do portal STP Digital, foi responsável de Departamento de Marketing e Comunicação da Unitel São Tomé e Príncipe de (2014-2017), formado em Informática de Gestão, é especialista em Marketing Digital de Conteúdo, Web Developer, SEO e Redes Sociais.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
error: O conteúdo está protegido!!