Política S. Tomé e Príncipe

Moisés Viegas é candidato presidencial e anuncia “nova era” para São Tomé e Príncipe

Moisés Veigas e a esposa

Nesta quinta-feira (29), Moisés Viegas, lançou oficialmente sua candidatura à Presidência de São Tomé e Príncipe sob o tema “Agora é a nossa vez”, no cinema Marcelo da Veiga.  O discurso do candidato no dia do lançamento da sua candidatura causou alvoroço entre os que lá estavam presente e resultou num grito de contentamento:

“SE NÃO FOR MOISÉS, NÃO QUEREMOS MAIS NINGUÉM!”

Moisés Viegas, fruto de uma família humilde, casado e pai de três filhos, não pertence a qualquer formação político-partidária, é um jovem de um currículo extenso, cuja trajetória define quem ele é hoje. Moisés desde muito cedo acreditou em si e naquilo que pode oferecer ao seu país. 

“Falei com muitos jovens, que me perguntaram: Moisés, por quê lutar? Por quê estudar? Por quê batalhar, se o país já tem dono? E eu respondi a esses jovens: tenham fé. Tenham esperança. Tenha determinação. Nós temos sonhos e nós vamos realizar os nossos sonhos”

 Moisés, foi Secretário-Administrativo na Embaixada de São Tomé e Príncipe, em Angola e hoje é Presidente do Núcleo Solidário do São Tomé e Príncipe, Palestrante Motivacional, Formador e Activista Social, com uma experiência acumulada de mais de dez anos, no espírito de sensibilização, motivação e mudança de mentalidade dos jovens santomenses para a cidadania. Neste quadro, coordenou e coordena vários projetos sociais, como “Mon Beto”, “Poder dos Sonhos, “Falar de Nós”, Mentor do Programa Generation Unlimited – UNICEF/PNUD e Formador em Competências para Vida (Programa Jovem) – UNICEF. 

Moisés no seu discurso inaugural que comparou a sua história de vida com histórias bíblicas a do Rei Davi e Moisés, se diz estar gratificado e humilde pela confiança dos que acreditam na sua candidatura. Ele reconheceu que a história precisa ser reescrita, abordou os desafios que iria enfrentar, pediu esperança e previu uma “nova era” para São Tomé e Príncipe. 

“Com garra e determinação, mesmo tendo sofrido muito em Cassuma, hoje, quando eu olho para a plateia, eu sinto-me representando porque vejo pessoas de todos os distritos. Em uma só palavra podemos dizer que nós estamos aqui reunidos como uma família de São Tomé e Príncipe. E essa família santomense tem sonhos. Tem sonhos para os seus filhos. Tem sonhos para os seus irmãos. Tem sonhos para os seus sobrinhos e, é por causa desses sonhos que nós acordamos todos os dias, haja chuva, haja sol, para irmos lutar arduamente para a realização desses sonhos. Nessas eleições meus amigos, nós vamos dizer a todo São Tomé e Príncipe, que o filho de um motoqueiro, um filho de uma palaiê, um filho de um mecânico, um filho de um vianteiro também pode ser o presidente da República”.

 

   O candidato às presidenciais não deixou de mostrar o seu descontentamento no que concerne  a imagem do país a nível internacional

“Precisamos mostrar ao mundo que somos uma família santomense e que temos um lugar na reta internacional. É preciso levarmos a nossa imagem a nível internacional. É preciso apresentarmos uma imagem mais firme. Uma imagem mais dinâmica. Uma imagem mais interventiva. Uma imagem que possa atrair tudo que é do bom e do melhor que nós merecemos para São Tomé e Príncipe. (…) esta caminhada é difícil, mas pela graça de Deus nós vamos lutar até a vitória”.

 Moisés diz que vários são os motivos para a sua candidatura e, a sua visão centra-se nos seguintes eixos: Segurança e Defesa, Política Externa , Justiça e Assuntos Sociais, pois o candidato entende que

“Agora é a vez de São Tomé e Príncipe de ter uma ação renovadora imediata”.

Sobre o Autor

Vivalda Prazeres

Don`t copy text!