Cultura S. Tomé e Príncipe

Curtas do STFL vão estrear no São Tomé Festfilm

Cinco dos onze projetos de curta-metragem que participaram na primeira edição do São Tomé Film Lab (STFL), têm estreia marcada no São Tomé Festfilm, onde estarão em competição pelo prémio de melhor curta nacional.

Desde a residência artística que decorreu de 6 a 17 de dezembro de 2021, os 11 autores de projetos selecionados, beneficiaram de semanas de formações e mentorias em storytelling, estratégias de produção e co-produção, técnicas de pitch, entre outras.

No final da residência, apenas 5 realizadores continuaram a trabalhar na produção dos seus projetos com acompanhamento e apoio financeiro do São Tomé Film Lab.

Estas 5 produções têm um gostinho diferente, pois será a primeira vez que tantos filmes nacionais vão ser exibidos num Festival Internacional de Cinema.

Na Categoria “Documentários” serão apresentados 3 filmes dos seguintes realizadores:

Jéssica Lima que teve desde o início em mangas o projeto “Chama-me Maria” – um documentário que vem revelar imagens em primeira mão sobre a história por de trás do feminicídio da Sr. Maria de Lurdes que chocou o país.

Odjay Ceita que, através do seu documentário “O Camponês” quis mostrar a realidade da vida rural, expondo assim a falta de oportunidades que os jovens que vivem em zonas periféricas sofrem.

Carlos Viegas através de “A Mulata” procura saber a realidade por de trás das mulheres que precisam recorrer a prostituição para a sua sobrevivência e sustento dos filhos.

Na Categoria “Ficção” serão apresentados 2 filmes das seguintes realizadoras:

Jaquilza Gomes que, do ponto de vista de uma mulher, vem retratar em “Amolê Pedaço” um problema que afeta muitos homens africanos – o sofrer calado, isto pela estigma imposta pela sociedade, onde o homem é símbolo de potência (como antónimo de fraqueza), poder, pilar. A sua ficção foca também nos sinais de depressão presentes na sociedade masculina santomense seja ela por fatores sociais ou familiares.

Yanira Tiny através de “Kinté Non” retrata uma realidade social santomense comum – a Violência Doméstica. Retratando assim a história de uma menina que usa “os fantasmas do passado” para mudar a sua narrativa.

A estreia dos 5 filmes está prevista para o dia 28 de Outubro, às 17:30 no Centro Cultural Português, nesta que será a 5ª edição do São Tomé Festfilm que acontece entre os dias 26 a 29 de outubro, na capital santomense.

De relembrar que o São Tomé Film Lab é uma iniciativa da Tela Digital Media Group em parceria com a ASSECOM-CA – Associação São-Tomense de Entretenimento e Comunicação Multimédia – Associação Cultural, a On Time Entertainment (OTE), e conta ainda com o apoio do Instituto Camões – Centro Cultural Português, e da Rede de Cinema e Audiovisual PALOP-TL. O São Tomé Film Lab é financiado pelo Programa ACP-EU Culture – “Créer en Afrique Centrale”.

Sobre o Autor

Akaisa Borges

Akaisa Borges, é uma jovem versátil de espirito aventureiro, licenciada em Gestão de Empresas pela University of International Business and Economics (UIBE), Beijing, China. Actualmente é assistente de comunicação de marketing na empresa Tela Digital Media Group, apaixonada por arte, cultura e marketing. Ela acredita na lei da atração e está em constante busca por novos desafios.

error: O conteúdo está protegido!!